inicio do site saude da gestante saude da familia saude do jovem saude da mulher saude do homem saudavel depois dos 60 anos Saude na Internet!

início > Saúde do homem > Intoxicação alimentar

Intoxicação alimentar

Publicado em: 16/03/2000. Última revisão: 19/01/2014

Redação Saúde na Internet
Newton Bittencourt dos Santos Newton Bittencourt dos Santos é graduado em Educação Física e especialista em Medicina e Ciências do Esporte pela UFRGS - Porto Alegre. Filiado à IAAF (Federação Internacional de Atletismo Amador).
todos artigos publicados

Quando se aproxima o período de férias, muitas pessoas preparam suas malas para uma temporada num lugar distante e agradável.

O que poucos se dão conta é de que, muitas vezes esses lugares pitorescos e suas comidas, por vezes exótica, podem causar uma série de transtornos à nossa saúde.

Muitos viajantes acabam sendo vítimas de um grande desconforto físico e são acometidos por diarréias e vômitos, justamente no período em que gostariam de desfrutar de cada segundo de suas férias.

Muito desses problemas é o resultado de descuidos das condições de higiene e da falta de cuidados simples que temos que tomar antes das refeições.
Muitas são realizadas em bares e lanchonetes que, as vezes, não correspondem com as condições sanitárias ideais.


O que é intoxicação alimentar?

É uma doença transmitida pela ingestão de alimentos contaminados por bactérias, fungos, vírus ou protozoários, e tem como principais sintomas a diarréia, enjôos, vômitos, cólicas abdominais e febre.


Quais são os alimentos mais facilmente contaminados?

Segundo Newton Bittencourt dos Santos, especialista em Medicina e Ciências do Esporte, os alimentos mais sujeitos a contaminação são:
- ovos crus;
- frutas, verduras e legumes crus não lavados;
- carnes malpassadas,
- alimentos cozidos conservados fora da geladeira (feijão, arroz, etc.) e
- cremes em geral (maionese, creme de leite, recheios de bolos e doces), conservados fora da geladeira.


Como proceder em caso de intoxicação alimentar?

Newton Bittencourt dos Santos acrescenta que “o importante é beber muito líquido para evitar a desidratação, intercalando água pura com sucos de frutas, chás ou bebidas isotônicas.”

“Não suspenda a alimentação. Faca refeições menores e com intervalos curtos, para não agravar os vômitos. Evite ainda refrigerantes, comidas gordurosas e fibras. Evite também, participar de passeios ou excursões quando já estiver com diarréia, pois poderá piorar ainda mais seu estado de saúde. Faça repouso e busque auxílio médico”, explica o especialista.


Quando procurar o atendimento médico?

Adultos
- mais do que seis evacuações em 24 horas,
- diarréia líquida por mais de 3 dias,
- febre maior do que 38 .C,
- presença de muco ou sangue nas fezes,
- fraqueza e
- diminuição do volume de urina

Crianças
- febre maior do que 38.C,
- muco ou sangue nas fezes,
- sinais de desidratação (prostração, olhos encovados, boca seca, choro sem lagrimas, etc.) e
- vômitos muito freqüentes, após ingestão de líquidos, mesmo em pequenas quantidades


Alguns cuidados para a prevenção

- prefira alimentos industrialmente processados,
- lave as mãos repetidas vezes,
- proteja os alimentos de insetos roedores e outros animais,
- use água potável ou fervida e, principalmente,
- tenha cuidado com o estabelecimento escolhido para realizar suas refeições.


Cuidado com os restaurantes e bares

Os alimentos são contaminados por bactérias, vírus ou protozoários quando sua conservação ou manipulação não é adequada.

Para prevenir as intoxicações alimentares, o especialista Newton dos Santos, recomenda:
- ao comprar carnes e peixes verifique as condições de higiene do estabelecimento,
- verifique também se os alimentos são conservados sob refrigeração,
- use o direito do consumidor para conhecer quais são as condições da cozinha do estabelecimento, não se acanhe, exija isso,
- observe se os balcões e os utensílios estão limpos,
- os funcionários devem usar roupas de proteção (gorro e avental, luvas, etc.) e lavar as mãos antes de preparar os alimentos.

Segundo o especialista “algumas medidas ajudam a enfrentar os sintomas da intoxicação. Para diminuir os vômitos, as refeições devem ser pequenas e com intervalos menores."

"Comidas gordurosas e fibras podem aumentar o volume das fezes, mas, apesar desse inconveniente, não causam nenhum outro mal a saúde durante uma intoxicação alimentar”. Já os líquidos, adverte, devem ser ingeridos em doses menores do que o habitual, mas várias vezes ao dia, para evitar a desidratação.


Tratamento

Não use medicamentos sem consultar previamente um médico, somente ele poderá indicar o melhor remédio para cada caso.

Os remédios mais tradicionais, que aliviam os sintomas e não prejudicam o organismo, são os ANTIESPASMÓDICOS, que diminuem as dores, e os ANTIEMÉTICOS, que combatem as náuseas.

Eles sempre devem ser usados sob restrita orientação médica. A diarréia infecciosa, que ocorre na intoxicação alimentar, é causada pelas toxinas bacterianas, que induzem o intestino a produzir mais água e sais minerais.  


para saber mais
Apostila de Medicina Desportiva da Federação Internacional de Atletismo Amador (IAAF) - junho, 1988

Assinar feeds RSSSaiba mais sobre feeds RSS
Adicionar o site aos Favoritos
Recomendar o site a um(a) amigo(a)
Adicionar ao del.icio.us

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.

Os leitores que chegaram a este artigo, buscaram as seguintes tags:

ferias,  intoxicacao alimentar,  intoxicacao,  cuidados,  comida,  alimentos,  viagem,  viajar,  bacterias,  virus,  maionese,  saumonela,  diarreia,  colica, 






início | gestante | família | jovem | mulher | homem | + de 60

busca no site | dicas de saúde no seu e-mail | fale conosco
política de privacidade | política comercial | aviso legal | RSS | mapa do site
sobre a Saúde na Internet | nossos colaboradores | seja um colaborador | anunciar


Desenvolvido por: InterNET X webhosting